Será que a Síndrome dos Ovários Policísticos é tão comum assim?

Será que a Síndrome dos Ovários Policísticos é tão comum assim?

Ainda não encontrei dentro da ginecologia uma patologia tão comumente mal diagnosticada quanto a Síndrome dos Ovários Policísticos.

Normalmente começa errado pra terminar pior ainda. A maioria começa com um pedido de ultrassonografia desnecessário.

Vou repetir mais uma vez: ultrassonografia transvaginal NÃO é exame de rotina! Não deve ser realizada todo ano como rastreio em mulheres assintomáticas. Assim como qualquer outra ultrassonografia (abdominal, renal, transretal, da tireóide, etc), só deve ser solicitada se houver uma indicação para isso. Existem diversos estudos científicos sobre este assunto. O pedido de exame de imagem para um paciente que “não esta sentindo nada” não é um zelo extra de um profissional ultra-cuidadoso e prudente. Não trata-se de “ah, mal não faz né…?!” É ERRADO! É contra-indicado.

Não melhora a qualidade ou a expectativa de vida e sim, pode acarretar prejuízos.

Um deles, talvez o principal, são os chamados resultados falso-positivos.

A SOP é um belo exemplo disso.

A mulher é submetida a um exame em que não havia nenhuma justificativa pra ser feito. O laudo vem: “ovários com microcistos em sua periferia”, ou algo do tipo.

Aí, temos a possibilidade de estarmos diante do erro número dois da sequência: o olhar treinado (ou não) do examinador. Os ovários tem naturalmente características císticas. Se estiver no período fértil haverá folículos dominantes. Tem que ver legal se essa imagem de cistos está dentro ou fora dos padrões da normalidade.

Mas, digamos que realmente se trata de um ovário aumentado e com padrão elevado de micro cistos.

Isso, por si só, significa sabe o quê? NADA!

Numa mulher que menstrua normalmente e não tem nenhuma queixa é o tipo da coisa que nem precisava saber, entende? Porque a partir daí vai surgir no mínimo uma encanação, uma pulga atrás da orelha que pode evoluir pra questões muito mais graves como medicações de uso crônico e procedimentos invasivos, progredindo o tal erro se a mulher estiver mal orientada por médicos ruins.

Essa imagem simplesmente NÃO é diagnóstico de SOP.

Nem mesmo uma mulher que tenha essa imagem ultrassonográfica + menstruação irregular já fecha necessariamente um diagnóstico de SOP.

Síndrome dos Ovários Policísticos é uma doença metabólica que cursa com resistência a Insulina. A irregularidade menstrual é só um dos sintomas e o diagnóstico é feito a partir de exames de sangue, dosagens hormonais e principalmente o quadro clínico da pessoa.

Um diagnóstico desse, dado erradamente, pode causar um tremendo estrago na vida. Nóia absurda, medo de não poder engravidar, estigma, baixa auto estima.

O lacre da cagada acontece quando é dada a sentença do destino inescapável dessa mulher: anticoncepcional forever. E anticoncepcional de alta dose porque só serve aquele lá. Não não dá pra ficar sem, só com essa maravilha da indústria farmacêutica você poderá menstruar, ovular, ter filhos, ter uma pele linda, viver, enfim…

Só que não um milhão de vezes!

Não tenho dados estatísticos, mas arrisco dizer sem medo algum de estar exagerando, que mais da metade das mulheres que acham que tem SOP na verdade não tem.

Mas, mesmo para as que tem: anticoncepcionais NÃO são o tratamento!!

Nananinanão!

Tratamento é alimentação com baixas quantidades de carboidratos e alta de proteínas, semelhante à de uma pessoa diabética e que deve ser orientada por um nutricionista.

Atividades físicas >>>>> fundamental, indispensável, nada de desculpinhas.

Na medicina convencional prescreve-se Metformina e o diabo do AC entra pra regular a menstruação – daquele jeitão dele fake, disfarçando que ta resolvendo alguma coisa – muitas vezes só pra mulher se sentir melhor por estar menstruando. Ele não ajuda ninguém a ovular, óbvio. A idéia é que controlada a doença tudo funcione normalmente.

Sim, irmãs!! Existem alternativas!!

Existe a fitoterapia e as ervas com fitohormônios. Realmente os hormônios fazem falta no nosso corpitcho.

Temos utilizado com excelentes resultados o Vitex, a Agoniada, o Uxi com unha de gato, a Artemísia.

Mas amadas, não fiquem chateadas comigo tá? Falo pro bem de vocês: não, não posso prescrever tratamento por aqui. Isso é coisa muito séria e deve ser acompanhada por um profissional, além de ser individualizada. Plantinhas também tem efeitos colaterais, doses tóxicas, contra indicações, tempo certo de uso.

Como podem ver, o tratamento é multiprofissional. Recomendo inclusive psicólogos e terapeutas holísticos para considerar todo o contexto daquele ser humano. Isso na Ginecologia Natural vai ser sempre muito importante. E a cura verdadeira só acontece se abranger todos esses aspectos.

E sim, tem cura. <3

*Bel Saide é  Médica Ginecologista especializada em Ginecologia Natural.  Com esta página intenciona levar informação de qualidade ao maior número possível de mulheres. Entretanto, a leitura de seus artigos jamais substitui um  acompanhamento médico presencial. 

Créditos da imagem: PRRINT via etsi.com

Comentários