Miomas – Tumores Benignos do Útero.

Miomas – Tumores Benignos do Útero.

MIOMAS são tumores benignos do útero.

Talvez um dos motivos que levem as mulheres a temerem tanto os miomas seja a palavra “tumor”. Gente, tumor não é = câncer.
A origem da palavra tumor vem de “inchaço”. Um tumor é uma proliferação celular anormal. Como um amontoado de tecido de determinado órgão em excesso, uma massa, qualquer aumento desse tipo caracteriza uma tumoração. Existem tumores benignos e malignos.

O mioma é benigno.
Não significa que ele faça bem pro corpo (ele não é “benéfico”) mas ele por si só não tem potencial de matar. Miomas não viram câncer. (salvo em raríssimos casos de degeneração)
Também chamados de Fibromas ou Leiomiomas, se originam do tecido muscular liso do útero, chamado miométrio.

Seus padrões de crescimento variam (podem crescer muito repentinamente ou ficar anos do mesmo tamanho) e suas causas estão relacionadas a fatores genéticos e hormonais. Miomas são de uma forma geral hormônio-dependentes por isso são prevalentes nas mulheres em idade reprodutiva, tendem a aumentar na gravidez e diminuir ou ate sumir após a menopausa.
Ser portadora de um mioma não é a principio um problema. A imensa maioria deles é assintomático e as mulheres morreriam felizes sem saber da existência deles se não tivessem sido obrigadas a fazerem aquela ultrassonografia transvaginal sem indicação.

A miomatose uterina é mais uma patologia ginecológica que só precisamos nos preocupar quando causa sintomas.
Os possíveis sintomas vão estar relacionados ao tamanho e à localização do dito cujo.

Quanto a localização os mais comuns são os subserosos, que ficam “pra fora” do útero, os intramurais crescem na parede uterina e se expandem e os submucosos estão “pra dentro” do útero. Temos também os intracavitários e os pediculados, bem menos comuns. Os miomas submucosos são os mais sangrativos, mesmo pequenos, os subserosos costumam só causar alterações menstruais quando muito volumosos. Em casos graves podem causar hemorragias e menstruações prolongadas e irregulares.
A dor atribuída ao mioma também é determinada por seu tamanho.

A verdade é que o mioma em si não dói. Isso mesmo. Mas quando ele cresce muito a mulher sente incômodos devido a compressão de outros órgãos e o peso. (Se você descobriu na ultra que tem um mioma de 2-3 cm, miga ele NÃO é a causa das suas cólicas.) Podem também causar aumento na frequência urinária, dor na relação sexual e prisão de ventre.

Na visão da ginecologia natural os miomas surgem em mulheres que “sentem muito”, tornando endurecidos seus centros de prazer. Ocorre que muitas vezes a energia circula mal nessa região que não recebe a devida atenção em nossa civilização. Podem também estar relacionados a sensações de não merecimento, abusos, dores passadas escondidas.
Recomendo muito a prática de yoga, com mobilização da pelve, suavização, posições invertidas, respiração. A terapia inclui desintoxicação, alimentação consciente e uso de ervas como a Maca Peruana e o Vitex. Os tratamentos naturais são individualizados e prolongados, necessitam de intensa conscientização, interiorização e movimento de auto cura. Trabalhamos os planos mental, emocional e físico.

Comentários